*RAINDROP*

*RAINDROP*

Relatório OBM 2010

Relatório PAPMEM 2010
 

Programa de Aperfeiçoamento para Professores de Matemática do Ensino Médio

Via Video-Conferência Um Novo Modelo

O Programa de Aperfeiçoamento para Professores de Matemática do Ensino Médio é uma realização do Instituto do Milênio Avanço Global e Integrado da Matemática Brasileira, IM-AGIMB, levada a efeito com a participação do IMPA, da RNP, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - FAPERJ e, sobretudo da Financiadora de Estudos e Projetos - FINEP. No período 2002-2008 participaram deste programa do IM-AGIMB, 22.957 professores do ensino médio, como mostra a figura abaixo. Este programa passa agora a fazer parte do Projeto Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática, INCTMat – Avanço Global e Integrado da Matemática Brasileira.

A metodologia empregada é basicamente a seguinte: cada etapa do programa dura uma semana, com atividades diárias durante oito horas, perfazendo assim 40 horas de trabalho ao todo.

A equipe de professores é formada por Elon Lages Lima (coordenador), Paulo Cezar P. Carvalho, Eduardo Wagner e Luiz Henrique de Figueiredo.

Durante cinco manhãs, esses professores se revezam em 20 horas de aula, originadas no IMPA e transmitidas via Internet para os pontos de presença da RNP localizados nos vários estados. Aí, os grupos locais assistem as aulas nos telões, tendo oportunidade de formular, via e-mail, questões, contando ainda com a presença da equipe local, formada por professores universitários previamente selecionados pelo IMPA.

As atividades da tarde são divididas em duas partes. Na primeira metade, os participantes, separados em grupos de 10 ou 12, trabalham na resolução de problemas que lhes são propostos logo após as aulas da manhã. Na segunda metade, todos se reúnem no auditório para a apresentação das soluções, que são acompanhadas de discussões animadas, sob a supervisão dos professores locais.

O material das aulas consta de textos organizados pelos  professores Elon Lima, Paulo Cezar Carvalho, Eduardo Wagner e Augusto Morgado. Esses textos são previamente distribuídos gratuitamente aos participantes que recebem ainda, no último dia, a lista completa das soluções dos problemas propostos. Além disso, todas as aulas são gravadas e ficam disponibilizadas no sítio do IMPA e podem ser copiadas gratuitamente pelos interessados sob forma de DVD. Esses DVD’s vêm sendo utilizados em diversas escolas do país, em atividades de treinamento de professores ou apenas para estudos particulares.

O Programa de Aperfeiçoamento para Professores de Matemática do Ensino Médio é seguramente de grande importância para a melhoria do ensino da Matemática, provocando um nivelamento para cima nos diversos rincões do país. Sua existência nas publicações, na Internet e nos DVD’s lhe dá um caráter de permanência de grande valia.


Olimpíadas

Olimpíadas Brasileira de Matemática 1979-2008

 A Olimpíadas de Matemática têm sido realizadas em mais de 100 países e elas ocorrem em escalas nacional, regional e internacional. Se estruturadas de maneira apropriada, as Olimpíadas podem servir como um dos mais importantes instrumentos para a difusão da Ciência junto a jovens estudantes. Elas representam um relevante veículo para o aperfeiçoamento dos professores de ciências e muito contribuem para a descoberta de jovens talentos. Para atingir essas três metas, as Olimpíadas devem ser eventos de larga escala em cada país em vários níveis do ensino e em três diferentes etapas em cada um destes níveis. A primeira etapa deve ser bastante atraente e não muito difícil para os estudantes e seus professores, com muitos ganhadores e prêmios. A segunda etapa é reservada àqueles que se sobressaíram na primeira fase. Finalmente a terceira etapa determina os melhores talentos os quais participam das competições internacionais e recebem bolsas para aprofundar seus conhecimentos científicos. Esta é a estrutura da Olimpíada Brasileira de Matemática promovida pela Sociedade Brasileira de Matemática - SBM e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq.

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnolgia de Matemática - INCTMat, será um novo parceiro desta importante atividade com dois objetivos: promover Olimpíadas regionais ou estaduais no Brasil e expandir a participação brasileira nas Olimpíadas Internacionais, especialmente na Olimpíada Internacional de Matemática para Estudantes Universitários – IMC, a qual é bastante nova.

Ressalta-se ainda a excelente performance dos brasileiros nas Competições Internacionais de Matemática e, em particular, para Estudantes Universitários, inclusive a obtenção em 2006 de uma medalha de ouro especial Grand First Prize.

A Olimpíadas Brasileira de Matemática passa agora a integrar o projeto do Instituto Nacional de Ciência & Tecnologia de Matemática-INCTMat, Avanço Global e Integrado da Matemática Brasileira,  mantendo seu vínculo com a SBM e o CNPq.

 

Destaques Internacionais

A participação do Brasil em Olimpíadas Internacionais cresceu exponencialmente incluindo além da Olimpíada Internacional, a Ibero-americana, a Olimpíada de Maio, a Olimpíada do Cone Sul, a Olimpíada Ibero-americana de Matemática Universitária e a Olimpíada Internacional de Matemática para Estudantes Universitários - IMC.

Como poderá ser observado, o Brasil conquistou há vários anos o predomínio ibero-americano e, graças ao nosso rendimento nas últimas competições internacionais, começa a ter destaque mundial.

As Olimpíadas são eventos individuais, mas é comum haver uma classificação por países na qual são somadas as pontuações dos estudantes.

 Olimpíadas de Maio

É uma competição realizada para jovens alunos, disputada em dois níveis (Nível 1: para alunos até 13 anos e Nível 2: para alunos de até 15 anos), por países da América Latina, Espanha e Portugal. No Brasil a Olimpíada de Maio é aplicada apenas àqueles alunos que tenham sido premiados na Olimpíada Brasileira de Matemática (medalhas de Ouro, Prata, Bronze e Menções Honrosas) ou tenham sido selecionados pelo coordenador regional. As provas dos alunos selecionados são enviadas para a comissão organizadora na Argentina onde é dada a classificação final.

 Posição do Brasil: O Brasil tem mantido um amplo e consistente liderança. Sempre conseguimos obter a maior pontuação dentre os participantes e a premiação máxima: 1 ouro, 2 pratas, 4 bronzes e 3 menções.

 Olimpíada de Matemática do Cone Sul:

É uma competição internacional da qual participam os países da porção meridional da América do Sul, representados por equipes de até 4 estudantes que não tenham feito 16 anos de idade em 31 de dezembro do ano imediatamente anterior à celebração da Olimpíada.

 Países participantes: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai.

 Posição do Brasil: O Brasil participa desta importante competição desde 1988 e tem sido líder da competição conquistando até hoje um total de 69 medalhas, sendo 18 de ouro, 26 de prata e 25 de bronze.

 Olimpíada Ibero-Americana de Matemática:

É uma competição internacional da qual participam os países da América Latina, Espanha e Portugal, representados por equipes de até 4 estudantes que não tenham feito 18 anos de idade em 31 de dezembro do ano imediatamente anterior à celebração da Olimpíada e que não tenham participado anteriormente em duas OIM.

Países participantes: Todos os países ibero-americanos.

 Posição do Brasil: Em 2004 e 2005, o Brasil conseguiu o feito, até então inédito, de uma equipe ganhar 4 ouros. Tais fatos mostram a primazia brasileira na competição.

O Brasil participa desta olimpíada desde 1985 conquistando desde então um total de 77 medalhas, sendo 42 de ouro, 25 de prata e 10 de bronze.

 A 23ª Olimpíada Ibero-Americanas de Matemática ocorrerá 18 a 28 de Setembro de 2008, na cidade de Salvador, Bahia, numa organização conjunta do Instituto de Matemática da Universidade Federal da Bahia, do Instituto de Matemática Pura e Aplicada – IMPA, da Sociedade Brasileira de Matemática, da Olimpíada Brasileira de Matemática, e do Instituto do Milênio IM-AGIMB, com o apoio da SECTI, da FAPESB, do MCT e de outras Instituições. Esta prestigiada competição internacional realiza-se anualmente, desde o ano de 1985, e envolve jovens dos vinte e dois países Ibero-Americanos: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Moçambique, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Perú, Portugal, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

Na ocasião, aproveitando o potencial científico dos participantes, realizaremos o I Simpósio Internacional do Ensino da Matemática de 18 a 20 de setembro de 2008 com a participação de professores e alunos de matemática de todos os níveis.

 Olimpíada Ibero-Americana de Matemática Universitária:

Países participantes: Argentina, Brasil, Colômbia, Cuba, Equador, Espanha, México, Peru, Portugal, Uruguai e Venezuela.

Faixa etária - escolar: Estudantes universitários.

Número de estudantes por país: 10

Posição do Brasil: O Brasil tem mantido um amplo e consistente liderança. Sempre conseguimos obter a maior pontuação dentre os participantes e a premiação máxima: 1 ouro, 2 pratas, 4 bronzes e 3 menções.

 Olimpíada Internacional de Matemática (IMO):

É a mais importante competição internacional, realizada desde 1959. Participam dessa competição mais de 100 países de todo o mundo, representados por equipes de até 6 estudantes secundários ou que não tenham ingressado na Universidade ou equivalente na data da celebração da Olimpíada.

 Países participantes: Mais de 100 dos cinco continentes. Todos os países de maior destaque na ciência mundial participam.

Faixa etária - escolar: Estudantes pré-universitários de até 19 anos.

Número de estudantes por país: 6

 Inicialmente, vale a pena conhecer um pouco do panorama mundial.

As grandes forças mundiais são China, Rússia e Estados Unidos.

Também têm grande força, da antiga Cortina de Ferro: Bielo-rússia, Bulgária, Hungria, Polônia, Romênia e Ucrânia; da Europa Ocidental:  Alemanha, França e Reino Unido; da Oceania: Austrália; da América: Canadá; da Ásia: Cazaquistão, Coréia do Sul, Índia, Irã, Japão, Taiwan e Vietnã; além de Israel e da Turquia.

Pode-se perceber então que, para obter um posto entre os 20 primeiros, devem ser vencidos países de enorme tradição.

Em 2008, com um total de 152 pontos, Brasil ficou na frente de países de longa tradição olímpica como Alemanha, Canadá, Itália, Índia, Israel, França, Reino Unido, conquistando com este resultado uma vez mais a 16ª. posição no ranking mundial entre 103 países participantes.

O Brasil participa desta importante competição desde 1979 conquistando desde então um total de 81 medalhas, sendo 7 de ouro, 18 de prata e 56 de bronze. Em 2008 o Brasil foi o melhor país classificado no âmbito ibero-americano.

 Olimpíada Internacional de Matemática Universitária (IMC):

Esta é uma Olimpíada cuja participação é por Universidade e não por país. Cada equipe consta de um professor-líder e 4 estudantes. 147 Instituições de todo o mundo têm participado da competição.

O número de medalhas conquistado pelos nossos estudantes em seis anos de participação é excelente: 41 medalhas, sendo 1 de ouro especial (Grand First Prize), 8 de ouro, 13 de prata, e 19 de bronze.