*RAINDROP*

*RAINDROP*

 

Motivação e Metas

 

A matemática brasileira tem evoluído de forma excepcional em décadas recentes, obtendo forte reconhecimento internacional, o que se traduz pela participação marcante de seus pesquisadores em vários dos principais congressos internacionais, como é o caso do Congresso Internacional de Matemáticos, promovido a cada 4 anos pela União Matemática Internacional. Vale notar ter sido um matemático brasileiro de instituição nacional o primeiro presidente de origem não européia ou americana desta prestigiosa instituição. É importante ressaltar que a matemática brasileira ocupa hoje o nível IV nesta União, próximo ao nível mais elevado em termos de prestígio científico.

 

Além disto, os indicadores de produção científica que qualificam a média dos índices de citação, coloca em anos recentes a matemática brasileira em posição de destaque, ao lado da física, em relação à média mundial, que claramente concentra-se nos países mais avançados.

 

Finalmente, têm sido membros de nossa comunidade brasileira de matemática jovens de grande talento, alguns deles considerados como possíveis candidatos  à Medalha Fields, o mais importante prêmio da área a nível mundial.

Cremos ser este o caso relativamente a 2010 em que serão escolhidos os novos ganhadores da Medalha Fields, durante o Congresso Internacional de Matemáticos.

 

Por outro lado, reconhece-se também uma enorme necessidade do crescimento dos quadros competentes nesta área no Brasil. Sabe-se que a matemática está na base das ciências em geral, sobretudo no que diz respeito às ciências exatas e da natureza, como ciências da engenharia, física, química, ciências da computação e, atualmente biologia, economia e finanças. Formam-se hoje cerca de 120 doutores em matemática por ano no país e tal formação concentra-se nos estados do Sul e Sudeste. Há ainda uma grande necessidade de melhoria do ensino e difusão desta ciência, assim como a busca  de novos talentos em todas as regiões do país.

 

O presente Projeto tem por finalidade mobilizar a comunidade matemática brasileira com a proposta de promover vigorosamente a expansão de todos estes aspectos da área no país, inclusive de sua já reconhecidamente elevada qualificação científica, como também a de promover sua maior interação com a América Latina, com foco na América do Sul, onde ocupa hoje destacada posição de liderança.

 

Em resumo, pretende-se com o importante aporte deste projeto, em conjunção com outros instrumentos disponibilizados pelo Ministério da Ciência e Tecnologia e suas Agências CNPq e FINEP, Ministério da Educação e sua Agência CAPES, e as Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa e as próprias instituições e centros de ensino e pesquisa, que a comunidade matemática brasileira que nos próximos 5 anos:

 

  • Alcance um comprovado avanço científico mensurado por um aumento significativo de suas publicações em revistas indexadas de circulação internacional, inclusive aquelas consideradas do mais alto padrão científico, e usualmente com os mais elevados índices de citações.

  • Promova um número bem maior de descobertas de novos talentos matemáticos, aumentando de 25 anualmente para 50 anualmente em três anos e para pelo menos 70 anualmente em 5 anos.
  • Promova um acréscimo em três anos de pelo menos 40-50% no número de doutores formados por ano pelas instituições credenciadas pela CAPES, atingindo-se 170-180 doutores por ano e 210-220 anualmente após cinco anos, sendo o número médio atual 120 novos doutores por ano.
  • Obtenha o credenciamento pela CAPES de pelo menos mais 5 cursos de mestrado  e 5 de doutorado em 5 anos e 3 de mestrados e 3 de doutorado em três anos, com ênfase nos Centros em Desenvolvimento que fazem parte deste projeto, como instituições colaboradoras e nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.
  • Promova um vigoroso crescimento de reuniões científicas, workshops e escolas que tenham lugar nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, pelo menos 1 por ano, em cada uma das regiões, com a participação expressiva de jovens estudantes de graduação e pós-graduação.
  • Promova a institucionalização de reuniões científicas e workshops entre diferentes grupos de pesquisa que compõe o projeto, pelo menos dois deles por ano.
  • Organize pelo menos um workshop/escola anualmente com outros Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia que se estabeleçam, por exemplo, em temas relativos à clima e meio ambiente e computação científica.
  • Promova a interação com o setor produtivo em áreas como petróleo, economia e finanças.
  • Promova, em conjunção com a FINEP e o IMPA, a expansão de cinco centros ligados ao projeto de Aperfeiçoamento de Professores de Matemática de Nível Médio nos próximos 3 anos, cujo número atual é de 27 em 25 estados na nação. Contemplando-se os dois módulos anuais de atividades, o número de professores-alunos deve crescer para cerca de 6.400, em três anos, e atingindo-se em 5 anos 40 Centros e 8.000 professores-alunos, cobrindo a grande maior parte dos estados brasileiros.
  • Promova a duplicação de eventos de difusão da matemática e contribua na promoção das Olimpíadas de Matemática a nível nacional e internacional.
  • Promova a duplicação anual de missões tutoriais de nível introdutório e de nível avançado na América Latina, com foco na América do Sul, em parceria com a UMALCA Projeto Prosul do Ministério da Ciência e Tecnologia-CNPq.
  • Promova vigoroso intercâmbio científico com as comunidades matemáticas de outras regiões como América do Norte, Europa e Ásia, como Índia, China e Japão, a ser mensurado pelo número de visitantes estrangeiros e período de estadia.
  • Apóie a realização do Congresso Internacional de Matemáticos no Rio de Janeiro em 2014, o primeiro a ter lugar na América Latina.